Saltar para: Post [1], Comentários [2], Pesquisa e Arquivos [3]

Desvendando a Bíblia

Desvendando a Bíblia

Todos os milagres são divinos?

“.. porque surgirão falsos cristos e falsos profetas operando grandes sinais e prodígios para enganar, se possível, os próprios eleitos” (Mateus 24:24).

Uma das características do ministério de Jesus foi a operação de milagres. A palavra milagre vem do verbo latim mirare que significa um acontecimento dito extraordinário que, à luz dos sentidos e conhecimentos até então disponíveis, não possui explicação cientifica ainda conhecida.
Jesus foi um exemplo de operador de verdadeiros milagres. Ele começou seu ministério fazendo algo que não teve explicação, quando transformou água em vinho (João 2:1-11). Não existe explicação para tal façanha. Ele tocava em um leproso e ele ficava limpo, dizia ao morto levanta e ele ressuscitava, distribuía uma pequena porção de pão para uma grande multidão e todos ficavam saciados.
Ele também disse que seus discípulos fariam milagres tanto quanto Ele. “Estes sinais hão de acompanhar aqueles que crêem: em meu nome, expelirão demônios; falarão novas línguas; pegarão em serpentes; e, se alguma coisa mortífera beberem, não lhes fará mal; se impuserem as mãos sobre enfermos, eles ficarão curados” (Marcos 16:17,18).“Em verdade, em verdade vos digo que aquele que crê em mim fará também as obras que eu faço e outras maiores fará, porque eu vou para junto do Pai” (João 14:12).
Mas Jesus advertiu com respeito à operação de milagres feita por falsos profetas. Ele disse que esse tipo de “prodígios” visaria enganar os próprios eleitos. É muito importante saber que esses falsos profetas não viriam em nome de nenhum ser estranho, mas em nome do próprio Jesus e operaria muitos milagres. Disse o apóstolo Paulo: “Porque os tais são falsos apóstolos, obreiros fraudulentos, transformando-se em apóstolos de Cristo. E não é de admirar, porque o próprio Satanás se transforma em anjo de luz. Não é muito, pois, que os seus próprios ministros se transformem em ministros de justiça; e o fim deles será conforme as suas obras” (II Coríntios 11:13-15).
Agora você sabe que existem milagres operados por Deus e prodígios feitos por Satanás. Como saber se um milagre é de Deus ou não? Disse Jesus: “Pelos seus frutos os conhecereis. Colhem-se, porventura, uvas dos espinheiros ou figos dos abrolhos?” (São Mateus 7:16). Verifique os atos desse operador de “milagres” e você verá se ele é de Deus ou não.
“Os dons do Espírito Santo são reais. Pertencem a igreja de Deus. São para nós e estão ao nosso alcance. Entrementes, temos que nos conscientizar que há condições impostas por Deus para serem concedidos” (Lourenço Gonzalez – Assim diz o Senhor pág.188).
Satanás não opera milagres porque seja bonzinho ou ainda tenha alguma porção de bondade em seu coração, mas porque quer através dos sinais operados pelos seus secretários, seduzir se possível até os eleitos. Dizem as escrituras: “E foi expulso o grande dragão, a antiga serpente, que se chama diabo e Satanás, o sedutor de todo o mundo, sim, foi atirado para a terra, e, com ele, os seus anjos” (Apocalipse 12:9). “.. porque surgirão falsos cristos e falsos profetas operando grandes sinais e prodígios para enganar, se possível, os próprios eleitos” (S. Mateus 24:24). Ele usa as coisas que são aparentemente boas, para levar o homem para o mal. Os milagres são os recursos usados por ele para enganar quantos possa.
No jardim do Éden ele não veio falar com Eva mostrando quem realmente era. Ele usou um disfarce. Ele veio incorporado na serpente, o animal mais belo que existia no jardin. “Mas a serpente, mais sagaz que todos os animais selváticos que o SENHOR Deus tinha feito, disse à mulher: É assim que Deus disse: Não comereis de toda árvore do jardim?” (Gêneses 3:1). Como todos nós sabemos, a serpente é um animal que não fala. Como ela poderia ter falado naquela ocasião? É claro que era outro sujeito que estaria falando. Ela estava sendo apenas o instrumento, ou seja, um disfarce. Seriam os milagres bons disfarces para enganar se possível os escolhidos? Com certeza que sim.
Um dos critérios que deve-se ter para não ser enganado é verificar se o tal profeta ou operador de milagres é a favor da lei de Deus ou não. Dizem as escrituras: “À lei e ao testemunho! Se eles não falarem desta maneira, jamais verão a alva” (Isaias 8:20). “O que desvia os ouvidos de ouvir a lei, até a sua oração será abominável” (Provérbios 28:9). Como poderia uma pessoa que transgride a lei de Deus operar milagres em nome desse Deus se ele mesmo é inimigo da lei do Criador?
Em muitas situações é mais fácil acreditar que um milagre é feito por Deus do que por Satanás, mas cuidado, pois o inimigo é capaz de se disfarçar até de anjo de luz para enganar se possível os escolhidos.
Eu sei que quando uma pessoa está sofrendo com câncer, e aparece uma pessoa inimiga da lei do Criador dizendo que pode libertá-la do seu sofrimento pelo poder de Deus, fica difícil acreditar que tal pessoa não seja de Deus. Mas cuidado, pois existem muitos anjos do diabo disfarçados de anjos de luz operando muitos prodígios por aí.
Gosto de lembrar de um acontecimento que se deu há aproximadamente trinta anos no Rio de Janeiro. Certo ministério conseguiu juntar 50.000 pessoas no Estádio do Maracanã. Lá milhares de pessoas que usavam óculos foram desafiadas a jogarem fora seus óculos em nome de Jesus. Todos os que tiveram coragem de fazer o tal feito, ficaram curados imediatamente, mas depois de um mês todos os “curados” precisaram comprar novos equipamentos. Foi o mês em que as óticas mais venderam óculos na cidade. Interessante que, o próprio operador dos milagres usava e ainda usa óculos até hoje. Curava as outras pessoas em “nome de Jesus”, mas não conseguia curar a si mesmo. Milagres desse tipo com certeza que é de procedência duvidosa. Sem esquecer que nessa ocasião fora recolhida grande quantidade de dinheiro de maneira que os obreiros precisaram carregá-los em sacos.
Hoje os “milagres” estão sendo feitos torto à direita, mas todos eles têm um preço. A maioria deles acontece quando se faz um voto ou campanha onde o tamanho do milagre tem o mesmo tamanho de teu bolso. Quanto mais o fiel puder dar, maior será o “milagre”. Existem lugares onde o fiel paga para ter a oração incessante do pastor. Lá a oração vale dinheiro. Quanto maior for o valor da contribuição, maior será a “benção”. Será que é assim que Deus abençoa? É assim que os milagres são concedidos?
A Bíblia não é contra a devolução dos dízimos e ofertas (Mateus 23:23). Ela só não aprova os métodos pelos quais eles são dados. O dízimo como já estudamos é um dever, mas a oferta deve ser um ato de adoração e gratidão. Se alguém motiva os fieis a dar dízimos e ofertas para receber em troca bênçãos ou milagres, saiba que Deus não aprova tais práticas.
Certa feita Satanás usou o disfarce de anjo de Deus para tentar enganar até mesmo o filho de Deus. Mas Jesus pôde através das palavras do enganador reconhecer o inimigo. Quais são os disfarces de Satanás hoje? Como podemos nos defender precaver deles? Só existe uma maneira: resista ao diabo e ele fugirá de você. Disse o apóstolo Tiago: “Sujeitai-vos, portanto, a Deus; mas resisti ao diabo, e ele fugirá de vós” (Tiago 4:7).
Dessa forma se entende que nem todos os milagres são provenientes de Deus. Os prodígios podem ser de duas origens: de Deus ou do diabo, porém todos eles têm sido apresentados em nome de Deus. Satanás não teria tanto sucesso em seus enganos se viesse mostrando ser o que realmente é. Você aceitaria ser curado pelo demônio, mesmo que a tua enfermidade fosse o câncer em seu estado terminal? Duvido.
“Infelizmente, o que vemos hoje é muito exibicionismo. Homens e mulheres “usando” o Espírito Santo ao invés de, por Ele, serem usados. Não há como negar que, uma verdadeira desvirtuação dos dons solapa a Igreja Evangélica. Uma “roda-viva” que está levando de roldão muitas pessoas sinceras e tementes a Deus. É preciso ter cautela, e nos adequar ao que o bom senso exige” (Lourenço Gonzalez – Assim diz o Senhor pág. 188).
“O dom de cura à época de Jesus era não só necessário, mas vital. A promiscuidade de vida (falta de higiene, de rede de esgotos e de água potável) facilitava a doença. Não havia hospitais, médicos, remédios suficientes, nem recursos para tal. Operações eram feitas sem anestesia. Pessoas ficavam doentes 10, 20, 40 anos e morreriam fatalmente, não fosse o dom de cura (João 5: 4-5; Mat. 9: 20). Hoje, tudo mudou. A ciência médica evoluiu a tal ponto que até fígado se transplanta com sucesso. Além do que, prolongou-se, comprovadamente, a vida humana, graças ao avanço médico.
Que dizer da Rede Hospitalar? Equipamentos computadorizados e a raio-laser a serviço da medicina. Processos avançadíssimos para exames de saúde. Liga-se alguns fios a um corpo e, na TV aparece seu coração batendo com tanta nitidez que, a primeira reação é louvar a Deus por ter o homem chegado a tal ponto da tecnologia médica. Trocar um coração doente por outro bom, hoje, é tarefa sem mistérios.
Médicos bem preparados e capazes, remédios eficazes para qualquer tratamento de saúde. Sim, as condições hoje são opostas àquela; além disso, um hospital evangélico pode realizar grande trabalho para Deus, porque, além de promover a saúde do paciente, pode orientá-lo a evitar as doenças, através de uma vida regrada e salutar, orientada por princípios salutares, descritos na Bíblia.
Bem, dirá você, e o poder de Deus? – É o mesmo, irmão! Porém Deus age quando “tiramos a pedra” (João 11: 39), salvo em casos especiais que Lhe aprouver. Inquestionavelmente, a nossa parte temos que fazer, porque Deus só fará o que não podemos. Nossa impossibilidade torna-se a possibilidade dEle. (Fui a uma igreja carismática no centro de Niterói, e, ao meu lado assentou-se uma senhora com uma ferida enorme, cheia de pus, na perna. Dava dó! O pastor iria orar pela perna dela. Mas, a única coisa que ela precisava imediatamente, era ser levada ao hospital).
IMAGINE: Uma reunião de cura. O pregador quer “curar” a todos. Todavia, o certo seria, primeiro, certificar-se de que muitas enfermidades provém da aberta transgressão da Lei da Saúde (João 5: 7-14). As pessoas têm que ser ensinadas a não transgredi-la para gozar boa saúde. Se uma pessoa sai curada desta reunião e volta a ter hábitos incorretos de saúde, arruina-la-á com certeza, e novamente Deus terá que curá-la? Deus não efetuará um milagre para curar alguém que não cuida de sua saúde, não acha?
A saúde não é produto do acaso, nem surge por um “passe de mágica”, e sim, manifesta-se pelo respeito às leis da vida. Deus quer que Seus filhos tenham boa saúde... por isso, criou leis preservativas da saúde, que, ao serem violadas, trazem enfermidades. O apóstolo Paulo é claro: “Aquilo que o homem semear, isto também ceifará.” Gálatas 6:7.
Esta é a lei da causa e efeito e o homem lhe está subordinado. Os dirigentes pois, tem a obrigação de instruir os membros da igreja a cultivarem uma completa Reforma de Saúde, que, sobretudo, é uma orientação divina.” (Lourenço Gonzalez - Assim diz o Senhor pág. 189)
“A cura, como milagre, ocorre em momento crítico, específico e circunstancial. Não pode ser um comércio vaidoso, nem modismo, ou pressão psicológica. Deve traduzir o profundo amor e misericórdia pelo sofredor. Isto ocorreu-me:
O Nelson morava em nossa casa. Certa vez caiu de uma escada e ficou com órgãos internos lesionados, que lhe causavam terríveis dores.
Procurou diversos médicos, hospitais e clínicas na esperança de ficar curado, porém, sem resultado. Era penoso vê-lo passar noites em claro, chorando de dor.
Um dia, movido de enorme compaixão daquele jovem, fui para a nossa sala e clamei em voz alta: Quem crê no poder de Deus venha cá. Vamos orar pelo Nelson agora.
Minha mãe, Galiana Gonzalez, meus irmãos Afonso e Sérgio Gonzalez, e o Jorge Laureano (outro jovem que morava conosco), se aproximaram.
Fomos então até o quarto do Nelson que se contorcia em dores. Ajoelhamos e orei por ele, reclamando a bênção de Deus. Instantaneamente a dor desapareceu. Está curado até hoje, mais de 30 anos. Glória a Deus! Aleluia!”(Lourenço Gonzalez - Assim diz o Senhor pág. 189)
“Hoje, o dom de curar está personificado na medicina. Porém, nunca descri no grande poder de Deus para curas imediatas, se for de Sua vontade e para Sua glória. Tenho também ouvido de muitos irmãos nossos, verdadeiros milagres.
É nestes parâmetros que temos de agir, e com a máxima prudência, primeiro para que ninguém pense que o poder é seu próprio e não de Deus; e, segundo, Lúcifer contrafaz tudo que promana de Deus, e uma cura pode representar o preço de uma alma que custou o sangue de Jesus. Isto é, o diabo pode curar alguém, e retê-lo para a perdição.
Por isso, o que temos que dar ao povo é a certeza da salvação em Cristo Jesus, ensinando-lhes os princípios de saúde apresentados na Bíblia, doutrinando-os para desenvolverem uma firme fé e confiança no Pai Celestial, e não nos milagres ou nos milagreiros” (Lourenço Gonzalez - Assim diz o Senhor pág. 192).
Caro leitor! Não se iluda com os milagres. Saiba que prodígios nunca serão provas de instrumentalidade divina.
Faço minhas as palavras de João: “Amados, não deis crédito a qualquer espírito; antes, provai os espíritos se procedem de Deus, porque muitos falsos profetas têm saído pelo mundo fora” (I João 4:1).

 

Referencias

GONZALEZ, Lourenço. Assim diz o Senhor. ADOS, Rio de Janeiro, RJ, 2008).

1 comentário

Comentar post