Saltar para: Post [1], Comentários [2], Pesquisa e Arquivos [3]

Desvendando a Bíblia

Desvendando a Bíblia

O que é, e para que serve a Bíblia

A palavra Bíblia vem do original grego “Biblos”, que quer dizer: coleção de livros. Se juntarmos vários livros e os encadernarmos fazendo um só livro, teremos uma Bíblia.

Quanto a esse livro que chamamos de Bíblia Sagrada, chamamos - o assim, porque trata-se de uma coleção de livros sagrados.  

O nome Bíblia para o conjunto dos livros sagrados foi usado pela primeira vez por Crisóstomo, no IV século depois de Cristo.

 Nela há 66 livros que foram escritos em aproximadamente 1500 anos por 40 autores diferentes que viveram também em épocas distintas. Esses autores foram homens de formações e culturas diversificadas. Entre eles estavam pescadores, pastores de ovelhas, médico, cobrador de impostos, reis, profetas etc..

O livro sagrado divide-se em antigo e novo testamento. O primeiro é formado por 39 livros e o segundo por 27.  É interessante observarmos que o novo testamento não é aceito pelos judeus como livro sagrado.

As Bíblias quando publicadas por editoras católicas, são chamadas de Bíblias católicas. Essas possuem sete livros a mais que as Bíblias usadas pelos evangélicos em geral, todavia esses livros acrescentados às Bíblias católicas, são chamados de apócrifos, ou seja, não inspirados. Por isso, não são aceitos pelos evangélicos muito menos pelos judeus.

         Esse livro sagrado foi escrito originalmente em hebraico, grego e aramaico. O velho testamento com exceção do capítulo doze de Daniel, foi escrito em Hebraico. Enquanto que o novo testamento com exceção do livro de Mateus, foi escrito em grego.

É interessante saber que a tradução do original para outras línguas trouxe algumas conseqüências desastrosas. Muitos erros acompanharam essa tradução de maneira que em algumas circunstâncias, fica difícil a compreensão correta de alguns textos sem recorrermos à tradução original da Bíblia. Por isso, não estranhe se em alguns textos eu precisar usar o texto original, pois de outra forma não haveria uma compreensão clara.

 

OS VERDADEIROS NOMES DO LIVRO SAGRADO

 

 A Bíblia é um nome dado pelos homens aos escritos sagrados, porém não consta em parte alguma desse livro o famoso nome (Bíblia). Portanto, esse não é o nome dado por Deus ao livro sagrado. Bíblia, é um nome dado apenas pelos homens.

Se não é esse o verdadeiro nome dado ao sagrado livro, qual é o verdadeiro ou os verdadeiros nomes dele?

Um dos verdadeiros nomes foi dado por Jesus. Disse Ele: “Nunca leste nas Escrituras, a pedra que os edificadores rejeitaram, esta foi posta como angular e é maravilhoso aos nossos olhos? (Mateus 21:42). Observe um detalhe no texto: “nunca leste nas Escrituras.” Na época de Jesus Escrituras era o nome mais usado pelo povo de Deus, por isso que o Messias fez questão de usá-lo com mais freqüência.

Outro nome dado por Jesus ao livro sagrado é: palavra de Deus. Ele disse: “Minha mãe e meus irmãos são aqueles que ouvem a palavra de Deus e as executa.” (Lucas 8:21).

O profeta Isaias inspirado por Deus denominou o livro sagrado de livro do Senhor. Disse ele: “Buscai no livro do Senhor e lede.” (Isaias 34:16).

Diante dos textos lidos anteriormente pode-se observar que, os nomes originais do sagrado livro são: Escrituras, Palavra de Deus e Livro do Senhor. O livro sagrado possui outros nomes, todavia os mencionados anteriormente são os mais usados.

É muito importante se entender que a Bíblia foi escrita por homens de variadas culturas e em épocas diferentes, porém não há nela nenhuma contradição. A maioria dos escritores nem mesmo se conheciam, mas mesmo assim, não se contradisseram, pois foram inspirados pelo mesmo Espírito. O apóstolo Pedro afirma: “Porque nunca qualquer profecia foi dada por vontade de homem algum, mas os homens santos de Deus falaram inspirados pelo Espírito Santo” (II Pedro 1:21). Deve-se atentar para um detalhe muito importante nesse texto lido. Nenhuma profecia foi dada por vontade de homem algum. Dessa forma se entende que os escritores sagrados não escreveram o que eles queriam, mas o que foram orientados a escrever. No momento em que eles recebiam a orientação divina, não prevalecia à vontade deles, mas a de Deus.

De acordo com o texto citado anteriormente as escrituras sagradas foram inspiradas pelo Espírito Santo de Deus, mas será que realmente todas as escrituras foram inspiradas por Deus? Diz o apóstolo Paulo: ”Toda escritura é inspirada por Deus e útil para ensinar, corrigir, instruir em justiça para que o homem seja habilitado para toda boa obra” (II Timóteo no capítulo 3:16). Portanto não é apenas uma parte da Bíblia que é inspirada por Deus, mas toda, ou seja, do Gênese ao Apocalipse.

É importante entender que foram os homens que escreveram a Bíblia sagrada e não Deus. Ele apenas os inspirou.

 Existem apenas duas partes das escrituras que foram o próprio Deus que as escreveu. A primeira delas foi os Dez mandamentos, a quem O eterno escreveu com suas próprias mãos.  “E voltou Moisés, e desceu do monte, com as duas tábuas do testemunho na sua mão, tábuas escritas de ambas as bandas; de uma e de outra banda estavam escritas. E aquelas tábuas eram obra de Deus; também a escritura era a mesma escritura de Deus, esculpida nas tábuas.” (Êxodo 32:15,16).

Outra parte é a que está escrita em Daniel 5:5. “Na mesma hora, apareceram uns dedos de mão de homem, e escreviam, defronte do castiçal, na estucada parede do palácio real; e o rei via a parte da mão que estava escrevendo.” Neste texto estava escrito: Menen, Menen Tequel e Ufarzin, que significa: pesado fostes na balança e achado em falta. Portanto, o texto: Menen, Menen Tequel e Ufarzin, foi outro texto escrito pelo próprio Deus.

O restante das Escrituras foi escrito pelos homens, mas sob a inspiração do Espírito de Deus. Todavia é importante entender que não foram homens quaisquer que as escreveram, e sim homens santos de Deus, ou seja, homens separados por Deus para esse ministério.

Na idade média a Escritura Sagrada foi o livro mais perseguido. Muitas pessoas até perderam a vida por possuí-la em suas casas. No Brasil um religioso chamado Júlio Maria Lombarde, autorizado pela igreja mãe juntou quantas Bíblias pode e as queimou na rua. Na revolução francesa a Bíblia foi um dos livros a ser queimado em praça pública.

Robespier um dos líderes revolucionários chegou a dizer que em pouco tempo, Deus seria apagado da mente humana. Hoje a casa desse filósofo se tornou deposito de Bíblias. Isso prova que a sua maléfica profecia não se cumpriu, pois Deus zela por sua palavra.

Hoje a Bíblia é o segundo livro mais vendido e o primeiro mais possuído, infelizmente é o livro menos lido. É verdade que existem milhões de pessoas que lêem esse maravilhoso livro, mas com objetivos errados. Muitos o lêem como objetivo de questioná-lo. Outros com objetivo de justificar suas próprias crenças. Existem também pessoas que estudam a Bíblia com objetivo de combater pessoas de denominações diferentes da sua ou que pensam diferente. Também existem pessoas que lêem a Bíblia porque são pregadores e precisam ter conteúdo para pregar, mas não estudam para a edificação espiritual.

E qual deve ser o correto objetivo da leitura Bíblica? Disse Jesus: “Examinais as Escrituras porque julgais ter nelas a vida eterna e são elas mesmas que testificam de mim.” (S. João 5:39). Deve-se estudar esse livro sagrado com o objetivo de encontrar nele a vida eterna. Mas o que significa vida eterna? Será que a pessoa que estuda a Bíblia irá ficar imortal? Claro que não é isso que Jesus queria dizer. Na verdade vida eterna é uma vida sem fim, mas ninguém irá ficar imortal só porque lê a Bíblia. O que o autor quer dizer é que, deve-se estudar esse santo livro com o objetivo de encontrar e conhecer a Deus. Leia a Bíblia para ser sábio. Creia nela para ser salvo; viva seus ensinos para ser santo. Pela graça de Cristo, isto é possível fazer e alcançar, pois ela nos conduz a Ele. (João 5:39; Atos 16:31).

Quando fizer isso estará lendo esse livro da forma correta. E ele garante que todos os que estudarem a Bíblia da forma certa, ou seja, com o objetivo de ter um encontro com Deus, terão no mundo porvir a vida eterna.

Mas além da garantia de vida eterna no porvir para todos os que estudam esse livro da forma certa, existem outras bênçãos desfrutadas pelos fieis leitores do livro sagrado. Uma delas é a verdadeira paz. Disse o salmista: “Grande paz têm os que amam a tua lei e para ele não há tropeço” (Salmos 119: 165). Todos aqueles que fazem das escrituras sagradas seu guia, são pessoas de genuína paz.

 

AS BÊNÇÃOS RESULTANTES DA LEITURA DA BÍBLIA

 

Como agente educador, a Bíblia não tem igual. Não há nada que amplie a visão, fortaleça a mente, eleve os pensamentos e enobreça as afeições como o estudo das sublimes e estupendas verdades da revelação. O conhecimento de seus princípios é preparação essencial para toda vocação. À medida que é estudada e seus ensinos recebidos, fortalecem-se o caráter, as ambições nobres, a acuidade de percepção e o são juízo de Deus. De todos os livros, nenhum contém, como a Bíblia, lições tão instrutivas, preceitos tão puros, nem tão grandiosas promessas.

Como guia, a Bíblia não tem rival. Dá paz tranqüila ao que crê e firme esperança no futuro. Resolve os grandes problemas da vida e do destino, e inspira um viver de pureza, paciência e piedade.

 Existe outra benção no estudo das Escrituras. Ela através de Deus tem o poder de transformar vidas. Nenhum outro livro tem o poder de transformação.

O livro “Origem das espécies” de Darwin é um dos livros mais estudado e falado no mundo contemporâneo, mas nunca se ouviu dizer que alguém teve a vida transformada em função da leitura dele. Outro livro muito conhecido e respeitado no meio das pessoas de saber foi “O Capital”, de Marx, todavia nunca se ouviu falar que um bandido deixou sua vida de crimes após a leitura desse livro.

Aportou certa vez na ilha Fiji um jornalista ateu, cheio de teorias evolucionistas. Ali encontrando-se com alguns fijianos cristãos, começou a desmerecer as escrituras sagradas e sua fé na mesma, jactando-se de ser ele incrédulo. Respondeu um humilde nativo:

- Vê o senhor aquele velho forno? Disse o fijiano. Ali era onde assávamos carne humana. Se não fosse o evangelho e esse livro que nos ensinou a amar o próximo, talvez a estas horas o senhor já teria sido assado em um desses fornos.

Por isso mesmo diz o salmista: "Maravilhosos são os teus testemunhos". A Bíblia tem feito maravilhas no mundo. O evangelho tem transformado os moradores do nosso planeta. Mais uma vez sejamos gratos a Deus por esta bênção tão maravilhosa, que nos concedeu. 

Existe uma falsa ideologia de que a Bíblia é um livro para ser lido por pessoas ignorantes, mas isso é uma conjetura falsa, pois homens de muito saber do passado e presente se deleitaram com a leitura dela. Entre eles pode-se citar o grande físico Newton, autor das três leis que levam o seu nome. Ele foi um assíduo leitor da Bíblia e por causa disso escreveu várias obras sobre o livro de Daniel, de muita importância para a sua época e também para hoje. Outro nome de reconhecimento mundial foi o grande cientista Louis Pasteur. Ele também foi um assíduo estudante da Bíblia sagrada.

Deve-se atentar para um detalhe muito importante com respeito à leitura da Bíblia. Mesmo sendo o livro mais possuído, também é o livro menos compreendido.  Qual seria a razão dessa tão pouca compreensão?

Em primeiro lugar o livro sagrado pode ser feito de papel, tinta, couro e outros materiais, mas o seu entendimento é diferente dos demais livros publicados. Esse livro trata de coisas espirituais e coisas espirituais se entendem de maneira espiritual. Não é uma simples leitura que trará um entendimento da vontade de Deus.

Para se entender e descobrir qual é a vontade de Deus expressa nesse livro, é necessário seguir alguns princípios, sem os quais, não haveria como entendê-lo.

 

COM ENTENDER A BÍBLIA

 

O primeiro princípio é: nunca estude esse livro como se fosse um livro qualquer. Saiba que nele está expressa a vontade de Deus. Mas não se descobrirá a vontade de Deus simplesmente lendo-o. É necessário que se estude com oração. São de Jesus as seguintes palavras: ”Tudo o que pedirdes em oração, crendo o recebereis (Mateus 21:22). Portanto, antes de estudar esse livro conscientize-se de que está lendo um livro que trata de verdades e valores eternos. Por isso fale com Deus antes de abrir o sagrado livro. Diga que quer ouvir a voz divina. Peça que esclareça a sua palavra. Se nesse momento você for sincero e crer nas palavras de Jesus, com certeza que sua petição será atendida e a leitura da Bíblia não será uma simples leitura, mas uma revelação da vontade divina.

Deve-se buscar auxilio do Espírito Santo. (João 16 :13 e João 14 :26). "O verdadeiro conhecimento da Bíblia só pode ser alcançado mediante o auxílio daquele pelo qual a Palavra foi dada." –  Educação, 189.

"Sem a guia do Espírito Santo estamos continuamente sujeitos à torcer as Escrituras ou interpretá-las erradamente". TS 2 :309.

O segundo principio é: estude com humildade. São de Jesus as seguintes palavras: bem-aventurado os humildes porque deles é o reino de Deus (Mateus 5:2). Portanto, na hora que for ler a Bíblia faça de forma humilde. Reconheça que você não sabe nada e que irá aprender com o maior professor do universo, que é o próprio Deus. Não estude a Bíblia como se você fosse um experte no assunto. Mesmo conhecendo bem um texto, entenda que sempre haverá novas mensagens a serem descobertas nele. Portanto, esteja disposto a ouvir a voz divina e mais disposto ainda a praticar os ensinamentos apresentados, mesmo que a mensagem seja desagradável. Entenda que a humildade é a chave para a compreensão das verdades divinas.

O terceiro princípio é: estude a Bíblia comparando os textos. Em Isaias 28:10 reza que é mandamento sobre mandamento, que é um pouco aqui e um pouco ali. Isso significa que o que está escrito em um texto, também está escrito em outro texto, porém com palavras diferentes. Se você quer entender um assunto, não estude um texto isoladamente. Deve estudar vários textos que falam do mesmo assunto e compará-los. Se você quer entender um texto, leia o texto anterior, depois o posterior. Se mesmo assim não entendeu, busque os textos que falem do mesmo assunto e estude-os com humildade e oração. "No estudo diário, o método de estudar versículo por versículo, é muitas vezes o mais eficaz. Tome o estudante um versículo e concentre nele o espírito em descobrir o pensamento que Deus ali pôs para ele. . ."( – Educação, pág. 188).

 E o quarto princípio é: estude a Bíblia sem pressa. “Bem pouco beneficio se tira de uma leitura apressada das escrituras. Poder-se-á ler a Bíblia inteira e contudo deixar de reconhecer-lhe a beleza ou compreender-lhe o sentido profundo e oculto. Uma passagem que se estuda até que seu sentido seja claro ao espírito, e evidente sua relação para com o plano da salvação, é de maior valor que a leitura de muitos capítulos sem ter em vista nenhuma instrução positiva.”

Nunca examine as escrituras com o objetivo de defender seu ponto de vista. Estude-a com o coração aberto, disposto a aceitar a mensagem de Deus quer seja agradável ou não. Decida a pôr em prática os ensinamentos sagrados não importando se os mesmos não estão de acordo com o seu ponto de vista. Entenda que na Bíblia estão os conhecimentos que tratam das realidades eternas, que deveriam ser de interesse de toda humanidade. Não terá valor algum estudar o livro sagrado pensando apenas em adquirir conhecimento, se não estiver disposto a praticá-lo. No livro do apocalipse no capítulo 1: 3 existe um texto que confirma o que estou falando. Lá diz: ”Bem-aventurado aquele que lê, os que ouvem as palavras desta profecia, e guardam as coisas que nelas estão escritas; porque o tempo está próximo.” Portanto caro leitor, é importante entender a palavra de Deus, mas é mais importante ainda praticar o que nela está escrito.

E o quinto e último principio é: Estude diariamente. (Atos 17:11).

"Penaliza-me os homens que não lêem a Bíblia diariamente". Presidente Wilson. A leitura da Bíblia deve ter a primazia no início e no fim de cada dia. A melhor hora do dia é a parte da manhã. (Mat. 6 :33).

 

O VERDADEIRO OBJETIVO DO ESTUDA DA BÍBLIA

 

É admirável saber que tudo o que foi escrito nas Escrituras foi escrito com um objetivo e está relacionado com a nossa salvação. Existem passagens que podem até parecer sem importância ou desatualizadas, mas saiba que todas elas têm valor, pois do contrário, não estariam na Bíblia. As Escrituras são de significado e valor eterno. A sua utilidade e durabilidade não está resumida à uma época, local ou a uma vida neste planeta. Diz a palavra de Deus: “Seca-se a erva e caem as flores, mas a palavra de nosso Deus permanece eternamente.” (Isaias 40:8). Isso nos leva a entender que a palavra de Deus durará eternamente.       

Como já vimos, a Bíblia sagrada foi e ainda é um livro lido por muitos vultos importantes da humanidade. Ela mesma fala de pessoas que deram muito valor a sua leitura. O patriarca Jó afirma: ”dos preceitos dos teus lábios nunca me apartei, as palavras da tua boca guardei mais que o meu alimento.” (Jô 23:12). O Rei Davi chegou afirmar que a Bíblia era para ele como uma lâmpada que iluminava seu caminho. Ele diz no livro de salmos capítulo 119:105: “lâmpada para os meus pés é a tua palavra e luz para o meu caminho”.

Então caro leitor. Depois de todos estes exemplos, creio que você compreendeu o que é realmente a Bíblia e qual o seu verdadeiro valor para a humanidade. Ela é o guia para uma vida feliz.

Trata-se de um livro que pode transformar vidas pelo poder de Deus. E ele pode transformar a tua vida também. Basta que você permita.

Se já tem esse livro em sua casa, comece a lê-lo todos os dias seguindo as orientações dadas neste blog, que com certeza você logo será muito feliz.

Se ainda não o tem. Adquira-o, comece a estudá-lo e a pôr em pratica os seus ensinos que assim você será muito feliz.

Lembre-se: “Bem - aventurados aqueles que lêem e aqueles que ouvem as palavras da profecia e guardam as coisas nela escritas, pois o tempo está próximo.” (Apocalipse 1:3).

 

Referencias

WHITE, Hellen. Educação. CPB, Tatuí, 2010.

1 comentário

Comentar post