Saltar para: Post [1], Comentar [2], Pesquisa e Arquivos [3]

Desvendando a Bíblia

Desvendando a Bíblia

Como guardar o sábado

Muitas desculpas para não se guardar o sábado têm sido apresentadas por várias correntes teológicas conhecidas na atualidade. Entre elas está a que Jesus não guardou o sábado, pois ele curava nesse dia e justificava a sua ação. Vejamos este texto: “Achava-se ali um homem que tinha uma das mãos ressequida; e eles, então, com o intuito de acusá-lo, perguntaram a Jesus: É lícito curar no sábado? Ao que lhes respondeu: Qual dentre vós será o homem que, tendo uma ovelha, e, num sábado, esta cair numa cova, não fará todo o esforço, tirando-a dali? Ora, quanto mais vale um homem que uma ovelha? Logo, é lícito, nos sábados, fazer o bem” (Mateus 12:10-12).

É importante entender que Jesus não condenou os judeus por guardarem o sábado, mas sim a forma como eles guardavam. Eles faziam do sábado e dos demais mandamentos um verdadeiro fardo. São de Jesus as palavras: “Atam fardos pesados e difíceis de carregar e os põem sobre os ombros dos homens; entretanto, eles mesmos nem com o dedo querem movê-los” (Mateus 23:4).
Jesus também guardava o sábado, pois além de ser judeu, se ele não o fizesse, não teria parte na adoração nos sábados. Confirmemos essa assertiva com as escrituras. “Indo para Nazaré, onde fora criado, entrou, num sábado, na sinagoga, segundo o seu costume, e levantou-se para ler” (Lucas 4:16).
Os defensores da violação do sábado também afirmam que o sábado foi feito apenas para os judeus e que não existem provas de que se guardava o sábado antes do Sinai. Todavia essa assertiva não é verdadeira.
No decálogo pode-se comprovar: “Lembra-te do dia de sábado, para o santificar. Seis dias trabalharás e farás toda a tua obra. Mas o sétimo dia é o sábado do SENHOR, teu Deus; não farás nenhum trabalho, nem tu, nem o teu filho, nem a tua filha, nem o teu servo, nem a tua serva, nem o teu animal, nem o forasteiro das tuas portas para dentro; porque, em seis dias, fez o SENHOR os céus e a terra, o mar e tudo o que neles há e, ao sétimo dia, descansou; por isso, o SENHOR abençoou o dia de sábado e o santificou” (Êxodo 20:8–11). Se Deus manda lembrar do sábado para o santificar é porque esse dia foi esquecido em um determinado tempo. Se foi esquecido é porque ele era guardado antes do decálogo ser escrito.
Ele ainda enfatiza que esse dia pertence ao Senhor nosso Deus. “Mas o sétimo dia é o sábado do SENHOR, teu Deus”. Se ele pertence a Deus, significa que não é nosso. Deve ser dedicado exclusivamente a Deus.
Outra desculpa é a de que o sábado pode ser qualquer dia da semana. Mas é ao contrário. O sétimo dia que é o sábado. Dizem as escrituras: “Mas o sétimo dia é o sábado do SENHOR, teu Deus”.
Quando Deus chama ao sábado de seu dia, é porque ele mesmo descansou nesse dia. Não que estivesse cansado, pois Ele não cansa, mas porque estava satisfeito. Deus descansou também para dar exemplo ao seu povo em todos os tempos. “E, havendo Deus terminado no dia sétimo a sua obra, que fizera, descansou nesse dia de toda a sua obra que tinha feito” (Gêneses 2:2).
O próprio Jesus declarou ser Senhor do sábado, ou seja, dono desse dia. São dele as palavras: “.. de sorte que o Filho do Homem é Senhor também do sábado” (Marcos 2:28). Se Ele é o dono do sábado, esse dia não nos pertence. E esse sábado não foi criado porque Deus ou Jesus precisasse dele, mas por causa do próprio homem. Disse Ele: “E acrescentou: O sábado foi estabelecido por causa do homem, e não o homem por causa do sábado ..” (Marcos 2:27). Deus desde o principio sabia que o homem precisava de um dia para descansar. Por isso separou esse dia. E como já foi enfatizado, ele mesmo foi nosso exemplo ao guardar o sábado.
É importante entender que Jesus foi acusado de transgredir o sábado como está escrito: “E os judeus perseguiam Jesus, porque fazia estas coisas no sábado. Mas ele lhes disse: Meu Pai trabalha até agora, e eu trabalho também. Por isso, pois, os judeus ainda mais procuravam matá-lo, porque não somente violava o sábado, mas também dizia que Deus era seu próprio Pai, fazendo-se igual a Deus” (João 5:16-18). “Por isso, alguns dos fariseus diziam: Esse homem não é de Deus, porque não guarda o sábado. Diziam outros: Como pode um homem pecador fazer tamanhos sinais? E houve dissensão entre eles” (João 9:16). Observe que os judeus acusavam a Jesus de violador do sábado, mas eles também o acusavam de endemoninhado (Mateus 12:24). A pergunta é: eles estavam falando a verdade ou a mentira? Claro que eles estavam mentindo. Então com respeito ao sábado eles também estavam proferindo mentiras.
É importante entender que Jesus guardava o sábado, mas não da forma deturpada dos judeus. Significa que existe a maneira certa e a errada de guardar esse dia. Se você quiser guardar da forma correta o sábado, guarde-o como Jesus guardava e esse dia será santificado com alegria e não com tristeza.
Como se deve guardar o sábado? Vejamos o que dizem as escrituras:
“Se desviares o pé de profanar o sábado e de cuidar dos teus próprios interesses no meu santo dia; se chamares ao sábado deleitoso e santo dia do SENHOR, digno de honra, e o honrares não seguindo os teus caminhos, não pretendendo fazer a tua própria vontade, nem falando palavras vãs, então, te deleitarás no SENHOR. Eu te farei cavalgar sobre os altos da terra e te sustentarei com a herança de Jacó, teu pai, porque a boca do SENHOR o disse” (Isaías 58:13,14).
O que Deus fez como sábado e quer que façamos também? “Assim, pois, foram acabados os céus e a terra e todo o seu exército. E, havendo Deus terminado no dia sétimo a sua obra, que fizera, descansou nesse dia de toda a sua obra que tinha feito. E abençoou Deus o dia sétimo e o santificou; porque nele descansou de toda a obra que, como Criador, fizera” (Gêneses 2:1-3). Deus fez com o Seu dia exatamente aquilo que quer que façamos. Ele descansou, abençoou e santificou. Descansar é um dever e todos nós podemos fazer. Não podemos abençoar esse dia, mas podemos torná-lo uma benção, ou seja, um dia agradável. Santificar também é um dever e todos nós podemos santificá-lo. Santificar o sábado é separá-lo exclusivamente para o serviço de Deus.
Como é chamado o dia anterior ao sábado e o que devemos fazer nesse dia? “Era o dia da preparação, e começava o sábado. As mulheres que tinham vindo da Galiléia com Jesus, seguindo, viram o túmulo e como o corpo fora ali depositado. Então, se retiraram para preparar aromas e bálsamos. E, no sábado, descansaram, segundo o mandamento” (Lucas 23:54-56). O dia de sexta-feira é chamado dia da preparação. Nele devemos nos preparar para o sábado. Esse princípio era observado desde os tempos que Israel estava no deserto.“Colhiam-no, pois, manhã após manhã, cada um quanto podia comer; porque, em vindo o calor, se derretia. Ao sexto dia, colheram pão em dobro, dois gômeres para cada um; e os principais da congregação vieram e contaram-no a Moisés. Respondeu-lhes ele: Isto é o que disse o SENHOR: Amanhã é repouso, o santo sábado do SENHOR; o que quiserdes cozer no forno, cozei-o, e o que quiserdes cozer em água, cozei-o em água; e tudo o que sobrar separai, guardando para a manhã seguinte. E guardaram-no até pela manhã seguinte, como Moisés ordenara; e não cheirou mal, nem deu bichos. Então, disse Moisés: Comei-o hoje, porquanto o sábado é do SENHOR; hoje, não o achareis no campo” (Êxodo 16:21 -25).
Guardar o sábado não é uma questão simplesmente de obediência. Ele é um dia abençoado por todos os que fielmente o observam. Desfrutam grandes bênçãos todos os que de coração o guarda. Como já vimos mas vale ressaltar: ”.. te deleitarás no SENHOR. Eu te farei cavalgar sobre os altos da terra e te sustentarei com a herança de Jacó, teu pai, porque a boca do SENHOR o disse.”
Você quer também usufruir das bênçãos divinas e especiais nesse dia? Então comece a guardá-lo. Faça um pacto com Deus ainda hoje de santificar o próximo sábado.

Comentar:

Mais

Se preenchido, o e-mail é usado apenas para notificação de respostas.